VIII Simpósio de Ecologia de Reservatórios
4 a 7 de Outubro de 2021

Link: https://www.unifal-mg.edu.br/simposiodeecologiadereservatorios/

O evento é tradicional no estudo dos reservatórios e abrange um público seleto e aproximado entre 200 e 300 pessoas. Os debates entre os pesquisadores, docentes e profissionais das áreas ambientais que estudam reservatórios são intensos e de alto nível.

O primeiro simpósio data de mais de 30 anos, do qual resultou dois volumes editados por Tundisi (1988) e intitulados “Limnologia e Manejo de Represas”. Em 1993 houve a segunda edição do simpósio e em 1994 foi gerada uma publicação editada por Pinto-Coelho e colaboradores com alguns aspectos da limnologia de lagos e reservatórios de Minas Gerais.

A terceira realização de simpósio de reservatórios foi realizada em Botucatu (SP) em 1998, que resultou num volume editado por Henry (1999), intitulado “Ecologia de reservatórios: estrutura, função e aspectos sociais”.

A quarta reunião científica ocorreu em São Pedro (SP), em 1999, de caráter internacional, cujos trabalhos resultaram em um livro editado por Tundisi & Straskraba (1999), intitulado “Theoretical Reservoir Ecology and its applications”.
Em 2004, o evento em sua V edição foi realizado em Avaré-SP, e teve como temáticas principais: impactos potenciais, ações de manejo e sistemas em cascatas. Os assuntos tratados foram reunidos em um volume editado por Nogueira e col. (2005).

A VI edição aconteceu em 2006 no município de Itá (SC), com público de 200 pessoas.
Depois de 11 anos sem a realização do simpósio, em 2017 houve a VII edição em Botucatu (SP), com público de 150 pessoas. Foi publicada uma seção especial na revista Acta Limnológica Brasiliensia com trabalhos apresentados no evento.

Em 2021 será realizada a VIII edição do evento e em formato online devido à pandemia de coronavírus (covid-19). As taxas de contágio e de mortalidade são especialmente altas no Brasil, e todos tiveram que se adaptar. O formato de eventos online é um dos meios de evitarmos aglomerações e de nos protegermos da doença. Ele permite também a interação científica com pesquisadores de locais mais distantes com baixo custo. Nessa edição traz-se o tema “visão múltipla e integrativa de conhecimentos”, com pesquisadores de alto nível do Brasil e de países vizinhos e temas mais diversos na ecologia de reservatórios, fundamentais para o gerenciamento e manejo desses ambientes